Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas
1- Já escutei muito sobre os vinte e um dias de purificação após o curso. O que realmente pode acontecer comigo? Pois sempre tive medo de fazer o curso pensando sobre isso?
Para entender o que realmente significa o processo de purificação, precisamos relembrar como o Reiki trabalha e qual seu objetivo:

Existe em cada ser vivo no planeta um sistema de energia que percorre todo o nosso corpo. A energia deve percorrer todo este caminho de forma livre e intensa, assim como o sangue deve correr em todas as veias. Quando isto acontece, o ser experimenta uma plenitude e liberdade em todos os níveis de seu ser e em toda a sua vida, se unificando com o todo, acordando potencialidades e capacidades não comuns àqueles cujo o sistema está bloqueado. Quanto mais livre e forte o micro sistema de energia em nosso corpo (aquele que diz respeito à nossa fisicalidade e existência na matéria) e, quanto maior os níveis de energia ativados e liberados em e pelo nosso macro sistema (que diz respeito ao homem como um todo – personalidade, alma e espírito), mais as partes adormecidas do nosso ser despertarão e ativará a memória do homem perfeito – o Adam Kadmon.

Por inúmeros motivos, vamos sobrecarregando nossos sistemas de energia e impedindo o seu livre fluxo formando nós energéticos neste caminho. Por onde existe nó, a energia não consegue fluir livremente, o que gera um entorpecimento das células que perdem sua memória ou ficam impedidas de funcionar perfeitamente. Os elétrons acumulam sujeira nas camadas ao redor das células, diminuindo sua velocidade. Com todo o sistema lento, as doenças e o envelhecimento tornam-se presentes e reais, nos levando à morte.

Ao se trabalhar no sistema de energia (pelos mais diversos e diferentes caminhos) o sistema se fortalece e o livre curso da energia é liberado, nos tornando mais e mais fortes e libertos de todo o entorpecimento e limitação.
O Reiki tem como foco a liberação destes nós energéticos e, por consequência, a liberação do livre fluxo de energia. À medida que isto se estabelece, o sistema vai se tornando mais e mais forte, e o corpo em todos os níveis recupera seu livre e perfeito funcionamento. Assim, nos tornamos cada vez mais resistentes, equilibrados, apaziguados e nos relembramos gradativamente de quem realmente somos.

O caminho passa por uma limpeza profunda daquilo que gerou estes nós energéticos. Por exemplo, imagine a metáfora de um lindo lago: à primeira vista, as águas estão transparentes e límpidas. Ao visualizá-lo ficamos extasiados por sua beleza e pureza. No entanto, no fundo deste lago há lodo e lama armazenado.

Ao fazer um curso de Reiki e ao passar pela sintonização (esta fará uma limpeza profunda em seu sistema, recodificará a forma de funcionamento dele e ativará partes adormecidas), este lago é revolvido. Muitas vezes a lama que está em seu solo sobe à superfície para ser trabalhada e liberada.

Qualquer que seja a qualidade da energia, ela ocupa um lugar em nossos corpos. Para que a energia mais sutil e pura penetre e nutra nosso sistema, a energia mais densa e doente precisa ceder espaço e lugar. Em outras palavras, precisa ser liberada.
Lembremo-nos, entretanto, que quando entramos em contato com alguma trava ou limitação ou com algum temor à nível inconsciente, é porque estamos prontos para liberá-lo e estamos dando o primeiro passo para sua cura e transmutação. Portanto, processos de limpeza ocorrem a cada vez que fortalecemos e movimentamos nossos campos, quaisquer sejam os caminhos pelos quais somos trabalhados.

A intensidade destas limpezas depende de cada aluno e de cada momento. Muitas vezes a liberação destes nós é feita de forma suave e imperceptível e outras de forma mais intensa. Imagine que seja como rearrumar a casa. No primeiro momento, todos os móveis são retirados do lugar e a sujeira por baixo deles fica aparente. À medida que a casa vai sendo limpa, o cheiro de limpeza no ar nos traz uma sensação agradável de completa leveza e encantamento. Ao final do trabalho a casa parece ter tomado uma feição e organização diferente.

Ao longo destes anos de trabalho, observo que, quanto maior é a resistência ao novo e à liberação de velhos pensamentos, ações e crenças, maior o desconforto dos primeiros dias. Quando estamos decididos a subir em nossa escala de evolução e vibração, estes processos são gradativos e suaves.

A liberação destes nós energéticos e de suas toxinas ocorre a cada momento em que você trabalha seu sistema de energia – quaisquer que sejam as técnicas e os caminhos. A liberação após um curso se dá de forma mais visível e mais palpável apenas por que durante o curso seu sistema é mais fortemente trabalhado. Você entra em contato com um fluxo muito forte de energia neste momento – um fluxo mais forte do que aquele a que seu sistema está acostumado. É uma Lei comprovada por Einstein: energia mais forte e mais sutil interfere e modifica energia mais densa.

As liberações de nós energéticos ocorrem em todos os nossos sistemas: físico, emocional, mental e espiritual. As vezes elas ocorrem em todos os sistemas simultaneamente, as vezes alternadamente. A intensidade e velocidade destas liberações depende de cada indivíduo em particular. Lembremo-nos de que a quantidade, especificidade e qualidade de trabalho através do sistema Reiki é determinada por nosso inconsciente. Se nosso inconsciente autoriza algumas liberações é porque estamos prontos para elas.

No período de vinte e um dias após o curso, as liberações são, portanto, mais intensas sim, mas o resultado é maravilhoso e, ao final deles, você já se sentirá diferente, mais feliz e liberto. Vale ressaltar, entretanto, que vinte e um dias não são necessariamente vinte e um dias. Para alguns, esta limpeza e reorganização mais forte se dá em muito poucos dias, para outros em número de dias maior do que os vinte e um, e para outros se dá de forma imperceptível. Mas ela sempre ocorre.

Quanto mais Reiki e mais se trabalhar os sistemas, mais suave é este rearranjar de sistema e mais rapidamente você se colocará num fluxo suave e maravilhoso de mudança energética, cada vez se sentindo mais pleno, forte e livre em todos os níveis.
2- Em que devemos pensar quando estamos aplicando Reiki em alguém? O que fazer se não consigo parar minha mente?
Pesquisas comprovam o uso eficiente do Reiki e seus resultados maravilhosos com o simples colocar as mãos sobre um local na pessoa.

No momento da sintonização todo o seu macro sistema foi religado ao seu micro sistema de energia e alguns comandos são colocados em suas bases. Para isto todo o seu micro sistema de energia (que diz respeito ao seu corpo físico e sua vida na matéria) foi elevado em vibração e recolocado em outra forma de funcionamento. Após a sintonização, seu sistema tem o comando “todas as vezes em que você usar sua mão ou tiver a intenção, flua a energia Reiki”. Isso significa que a energia que flui de suas mãos é a energia de seu Espírito e não a energia Ki, de seu corpo físico. ChiyokoYamaguchi costumava responder a esta pergunta com uma demonstração: colocava as mãos sobre alguém e dizia “Reiki ON”, ao retirar a mão, dizia ” Reiki OFF”. Simples assim.

Ocorre que a energia do Espírito tem o mais alto padrão de vibração de nosso ser. E neste patamar de vibração todos nós somos iguais: meu Espírito é igual a seu Espírito e neste patamar de vibração somos semelhantes a Deus ou Buda e nos tornamos Deus ou Buda (ver a entrevista de DrMikao).

Segundo Einstein, a energia mais sutil interfere e modifica a energia mais densa. Desta forma apenas ao colocar nossas mãos sobre alguém a energia começa a fluir, independente de nosso comando ou intenção. E fluindo neste patamar tão superior em vibração, ela interfere e modifica a energia mais densa.

Assim, o Reiki não necessita de sua atenção para fluir ou atuar. Isto ocorre pelo simples comando em seu sistema.
Não obstante, embora saibamos disto, experiências mostram que apesar do fato de a energia Rei fluir de seu sistema ao simples toque de suas mãos ou a simples intenção de sua forma pensamento, todas as vezes em que o terapeuta estiver mais presente ou mais consciente, os resultados podem ser mais efetivos e mais otimizados. Por quê?
Porque ao estar mais presente e mais conectado, prestando atenção a seu paciente você estará mais receptivo ao movimento da energia no corpo do paciente, aos patamares do byosen (níveis de toxina no corpo e no local) e sua evolução durante o tratamento; estará mais sincronizado com a energia e atento aos seus comandos referentes a locais mais adequados ou necessitados de atenção e até mesmo estará mais receptivo aos pensamentos, sentimentos e vibração de seu paciente. É o que denominamos de Reiki consciente.

Analisando novamente os Princípios temos três comandos que nos chamam atenção em relação a esta questão:
KyoDakeWa: Somente por hoje. Este princípio nos leva à necessidade de viver no Presente, no aqui e agora. Apenas temos de dar conta daquele momento vivido.

GyoHague Me: Cumpre os teus deveres. Se você está ali para aplicar Reiki, dedique-se a este momento da sua melhor forma possível.

HitoniShinsetsuni: Seja gentil (bondoso) com todos os seres.
Se você está tratando alguém e presta atenção no seu serviço, está conectado ao seu cliente e ao que está acontecendo com ele, cumprindo estes três princípios. Como consequência, você está otimizando sua aplicação de Reiki e fazendo o seu melhor. Isto também trará a você um ótimo benefício: Sabemos que ao tratar alguém, a energia passa igualmente pelo nosso sistema e também nós somos tratados e beneficiados naquele momento. Estar mais conectado possibilita, portanto, uma maior percepção sobre si próprio e sobre o que está acontecendo também com você naquele momento.

Fazendo uma comparação, pense em uma viagem: você precisa se deslocar de Brasília a São Paulo. A única certeza que você tem é que deve estar em São Paulo e assim você se disponibiliza a fazer esta viagem. Você pode escolher chegar lá de carroça, a pé, ou
pode escolher ir de avião.

Qual dos caminhos te levarão mais rapidamente ao seu objetivo?
Assim também é com o trabalho de energia. Temos, portanto, a seguinte realidade e constatação: após ser sintonizado, ao tocar alguém ou algo ou tiver esta intenção, a energia Reiki começará a fluir sem obstáculos e a trazer resultados maravilhosos ao paciente, independente de sua atenção. Isto porque este comando está em seu sistema. Entretanto, sua atenção e conexão, embora não necessariamente aumente o fluxo da energia, lhe possibilitará otimizar seu tratamento, uma vez que você estará mais perceptivo ao que está acontecendo com seu paciente, com você mesmo e com o fluxo da cura que está sendo realizada. Desta forma, é possível saber, com mais consciência, o tempo adequado a cada local, o perfeito uso dos símbolos quando e se necessário, o feedback do corpo do paciente e em que nível/corpo seu paciente está sendo trabalhado.

O que fazer se nossa mente não fica silenciosa e atenta?
Lembre-se: você também está sendo tratado. Foco e atenção é possível quando nossos corpos estão em harmonia e equilíbrio. Desta forma, não se culpe se não conseguir isto de imediato, até mesmo porque você sabe que seu cliente não está sendo prejudicado. Antes tenha a intenção de também treinar sua mente. Aproveite cada tratamento que estiver fazendo para treiná-lo e desta forma você também vai crescendo em paz e unicidade. Assim, quando menos perceber, você estará lá por várias horas, com sua mente completamente vazia, apenas focando em seu paciente. Isto significa que seu corpo mental e emocional estão em lindo equilíbrio e que você está conectado com seu paciente cem por cento.

De que forma conseguir isto?
Treinando e tendo também esta intenção. Sem se cobrar resultados imediatos vá subindo em foco e atenção a cada tratamento. No início, você conseguirá apenas por poucos segundos e um pensamento chegará. Tome consciência dele, observe-o e deixe-o passar. Volte novamente a atenção a seu cliente e ao seu tratamento. Outro pensamento chegará. Olhe-o, observe-o, deixe passar e volte a atenção ao cliente. Nãofixe-se em seus pensamentos ou discuta com eles. Esteja apenas observando-os chegarem e irem. Desta forma você vai espaçando mais e mais a chegada de um pensamento ao estar tratando, até que conseguirá um dia estar ali, no vazio: apenas com você, seu cliente e a energia.

Quando isto acontecer, seus insights e percepções falarão muito alto e você poderá seguir os comandos mais sutis da energia naquele momento ou simplesmente se extasiar com o movimento da energia no tratamento. Até lá, você possui alguns recursos que poderá usar para agilizar sua própria cura e seu tratamento: prestar atenção à sua respiração, respirar conscientemente, perceber-se inspirando e expirando pelas mãos e observar o movimento disto; repetir mentalmente os princípios; observar a respiração do cliente e os movimentos de sua expressão e de seu corpo; prestar atenção ao que está ocorrendo com você e com suas mãos; quais os índices e patamares do byosen e qual o fluxo deste byosen durante o tratamento. Se nada disto o ajudar, você pode ainda rezar (se for religioso), ou prestar atenção ao que está ocorrendo com você; observar seus pensamentos chegando, qual o seu teor e partindo.

Se ainda nada disto funcionar, siga o fluxo do tratamento pelo sistema de chacras. Observe um tempo em cada local e logo o corpo estará energizado como um todo e reaprendendo sua possibilidade de auto cura, simplesmente por estar mais forte e habilitado a desfazer os nós que trazem bloqueio ao simples fluxo de energia.

Acima de tudo, seja gentil com você. A energia Reiki estará trabalhando em perfeição malgrado à condição de sua mente. Veja o que dá conta a cada tratamento e observe a sua própria escada de evolução nesta direção, sendo amável e gentil com você mesmo.

3- É preciso deixar de comer carne ou beber bebidas alcoólicas para ser Reikiano?

O Reiki é um método de cura que não está conectado a nenhuma filosofia religiosa. Assim, ele é um sistema extremamente livre. Ele é tão simples e livre que muitas vezes o ser humano gosta ou sente necessidade de vesti-lo com muitas crenças e limitações.
Não há necessidade de nenhuma dieta especial ou roupa especial para que se receba ou se trabalhe com esta característica de energia. Da mesma forma como em relação à alimentação, a liberdade se expande também a vestimentas ou a acessórios. O Reiki vem em uma vibração tão sutil e rápida que ultrapassa qualquer objeto, metal, ou artefato.

Tão logo alguém coloca as mãos sobre você, o fluxo de energia com que se trabalha é o fluxo do Espírito, do Cosmos, da Fonte. Não há qualquer mistura com o Ki- fluido vital- do terapeuta. Desta forma, não há necessidade de dietas especiais ou mais leves.
Entretanto, como um bom terapeuta, você deve cuidar para que seu hábito alimentar ou sua ingestão de líquidos seja bem confortável para seu receptor. Se você vai atender alguém, é uma delicadeza que seu hálito esteja agradável, que você esteja consciente de suas funções e que você mesmo se sinta confortável com sua digestão para que você não esteja distraído por ela. Mas estes cuidados têm a ver com seu cuidado de gentileza e de educação, e não com uma dificuldade para o fluir da energia Reiki.

Observa-se, todavia, que o Reikiano que trabalha seu sistema, após um tempo, passa a ser mais cuidadoso e mais vigilante a todas as suas escolhas. Uma vez que você começa a tornar seu sistema energético mais sutil, você começa a liberar toxinas em todos os níveis e isto o leva a crescer em estima e amor próprio. Como consequência de sua expansão de consciência, você passa a escolher hábitos, alimentos e companhias mais agradáveis e leves para vida. Muitas mudanças ocorrem a partir de então em muitos níveis de seu ser e de sua vida, não por exigência da energia Reiki, mas por ” exigência” de seu novo ser que opta por mais qualidade em todos os segmentos.

Muitas pessoas acreditam que o caminho de energia é um caminho de rigidez e muitos sacrifícios. Outros acreditam ainda que para trabalhar sua espiritualidade há necessidade de muitas renúncias e muitas proibições. Estamos na Era da Liberdade e isto significa Liberdade em todos os níveis. O caminho de energia deve ser um caminho leve, divertido e gentil para seu coração e para seu sistema.

Lembremo-nos do Kanji do Reiki, que nos fala de conexão com o céu e com a terra em perfeito equilíbrio. Apenas desta forma podemos entender, perceber e guardar a energia cósmica, a energia do espírito em nosso ser e fazer “chover” sobre o outro gerando abundância.

A hora de mudanças de hábitos alimentares será percebida através de seu corpo e do desejo de seu coração. Mas isto é consequência do aumento da sutileza de seu sistema energético e não um pré- requisito para o uso desta energia em seu sistema, quer como emissor quer como receptor.

4- A cor da roupa usada durante uma aplicação de Reiki interfere no resultado do tratamento ?

Esta questão está também abordada na questão anterior.

O trabalho com a energia Reiki é dos mais simples e libertos dentre as muitas formas de trabalho com a energia. Por se tratar da energia do Espírito, do Cosmo, da Fonte, ela é soberana e livre em todos os aspectos. Não há necessidade de aparatos especiais. Você pode tratar ou receber tratamentos de Reiki como você se sentir mais confortável. O conforto e bem estar tanto do paciente quanto do terapeuta é sempre o primeiro requisito.

Algumas técnicas de trabalho com a energia, em especial algumas aliadas à práticas religiosas, pedem não se utilizar roupas escuras. Isto porque elas trabalham de alguma forma com a energia do Ki e não com a energia Reiki. Apenas isto.
É aconselhável, entretanto, aos terapeutas, que se vistam adequadamente, com roupas confortáveis mas mais recatadas de forma a facilitar uma postura e um relacionamento profissional com seu cliente.

5- Por que sinto moleza ou sono após uma sessão de Reiki? E em casos de pessoas que não sentem isto, podemos dizer que o Reiki não trabalhou ou ajudou?

 

Pesquisas realizadas com a ajuda de exames de eletroencefalograma durante a sessão de Reiki, comprovam que as ondas cerebrais acalmam demasiadamente. As ondas chegam a alcançar o patamar REM, que é o patamar de ondas cerebrais presentes no estágio de sono profundo. Isto possibilita que seu sistema de energia se eleve à vibração theta/delta, em que seu sistema experimenta o mais alto nível de expansão de consciência e um nível de relaxamento superior ao experimentado quando de uma sessão de hipnose.

Ao trabalhar o seu sistema de energia (quer como emissor quer como receptor), os nós dentro dele vão se desfazendo. O corpo fica mais e mais preenchido de energia e começa a relembrar o seu caminho de autocura.

Isto gera uma expansão de consciência muito grande. Quando há muita expansão de consciência e quando suas ondas atingem este estado de relaxamento, a tendência natural do corpo é dormir, pois ao dormir o sistema pode se reorganizar em outra vibração e outra forma de funcionamento.

Outro motivo para este fenômeno é o fato de seu corpo ainda não estar acostumado a patamares vibracionais muito fortes. Assim, a energia mais sutil penetra seu sistema e modifica o sistema de seu corpo, para um sistema mais sutil. Como a vibração é mais alta do que a que você está acostumado, seu corpo relaxa e você sente sono.

Importante ainda lembrar que, em especial no Ocidente, levamos um estilo de vida muito agitado e corrido. Em geral, nosso corpo físico se sente bastante cansado. Ao se colocar em tratamento, seu movimento acalma, não há mais correria. Você está ali, deitado, sem nada a fazer que não o se colocar à disposição para que a energia siga o seu fluxo. O seu cansaço muitas vezes o leva a dormir e se sentir sonolento.

Como pode perceber, a sonolência ou o dormir é uma consequência do trabalho, qualquer que seja o motivo gerado e não um pré-requisto. Após um certo tempo de trabalho pessoal, seu sistema já estará acostumado a esta sutileza e intensidade de vibração e se você estiver descansado, conseguirá atingir este estado de relaxamento sem se sentir sonolento ou cair no sono.

6- Porque em alguns lugares aplica-se Reiki tocando o corpo do receptor e em outros locais (em alguns países ou hospitais) não se toca no assistido?

Ao iniciar seu trabalho com o Reiki (ou com diversos outros sistemas de trabalho energéticos) as mãos do terapeuta tornam-se mais e mais sensíveis. Desta forma, ao tocar ou aproximar suas mãos ou percepção sobre outra pessoa, o terapeuta pode perceber o sistema do receptor e o fluxo da energia enquanto trabalha. Assim, tocar no paciente não é obrigatório para que o emissor trabalhe o seu assistido. O terapeuta, entretanto, necessitará perceber a distância máxima em que suas mãos poderão se posicionar para o trabalho e esta distância difere de terapeuta a terapeuta segundo sua capacidade de percepção e a sensibilidade de suas mãos ou sistema.

Tocar o paciente permite que ele sinta mais facilmente uma sensação agradável de aconchego, ao sentir o calor que flui naturalmente da mão do terapeuta, desde que o paciente não tenha problemas ou não se sinta desconfortável ao ser tocado. A maioria dos assistidos relatam uma sensação muito agradável vinda do toque e se sentem mais confiantes, pois ao perceber o fluxo de energia que sai das mãos do terapeuta, eles sabem que algo está acontecendo em seu sistema.

Algumas culturas, entretanto, não pregam ou praticam o toque. Por este motivo, o terapeuta mantém as mãos a uma distância possível de forma que se permita a percepção do sistema do paciente, sem tocá-lo.

Nos hospitais, temos, além da diversidade de culturas entre os pacientes, o fato de ser um ambiente com muitas bactérias. O não tocar é uma prevenção à contaminação de um paciente pelo outro. Todavia, é, segundo os departamentos de infectologia dos hospitais (tendo como referência o Hospital de Base e o Hospital das Crianças em Brasília-DF) facilmente solucionado com a prática da lavagem das mãos entre um paciente e outro ou uso do álcool a 70%.

6- O tratamento à distância é menos eficiente que o presencial?

O tratamento à distância é facilitado e possível através do símbolo utilizado e aprendido no nível II de Reiki. Este portal quebra o tempo e o espaço, trazendo o tratamento e o receptor para o aqui e agora.

Assim, não enviamos um Reiki à distância, pois emissor e receptor estão no mesmo espaço e no mesmo tempo.
A questão do tempo destinado ao tratamento à distância é bastante controversa de acordo com os diversos mestres de Reiki. Assim, temos livros que falam da possibilidade de tratamento em quinze minutos, outros em meia hora, outros em uma hora. Há, ainda, Mestres que ensinam a tratar à distância em apenas sete minutos e meio.

Talvez seja este um dos motivos pelo qual o tratamento à distância não seja sentido da mesma forma que um tratamento presencial.

Sabemos que à época de Dr. Mikao e Dr. Hayashi, o tratamento físico se dava através da observação do byosen. Segundo Dr. Hayashi, devido ao comprimento da onda energia (ápice e descanso) o tempo necessário para que o corpo possa juntar as toxinas ao redor do local tratado para depois liberá-las e o ideal para se obter um índice de cura é um mínimo de vinte minutos no local. O mesmo se deve ao tratamento de cura mental e emocional.

Mas, se o tratamento à distância pretende se equiparar ao tratamento presencial, não seria o caso de se obter as mesmas condições e tempo? Se um tratamento de sete minutos e meio, ou quinze minutos tivesse o mesmo efeito de um tratamento presencial (feito geralmente em geral em 45 minutos a uma hora)

não seria o caso de só se tratar à distância?
Outra variante a ser pensada é a necessidade de o receptor estar conectado ao emissor, em repouso, no momento do tratamento. O tratamento presencial permite ao receptor estar conectado consigo mesmo, com seu processo de cura e com o tratamento. Isto propicia não só que sinta o fluxo da energia e o que está acontecendo em seus sistemas, mas também alguns insights fruto do tratamento em questão. No Ocidente, é comum realizar tratamento à distância sem que o emissor se coloque em conexão com o receptor durante o tratamento. Isto faz com que o receptor não sinta o tratamento da mesma maneira.

Assim, não se trata de ter mais ou menos efeito, mas sim de condições diferentes trazendo resultados diferentes. Não há muita pesquisa focando a relação tempo e condições/tratamento e resultados obtidos. Sabemos que o Reiki à distância traz excelentes resultados comprovadamente, mas nenhuma pesquisa até então teve como foco mensurar estes resultados e se estes resultados diferem dum tratamento presencial.

Acredito, entretanto, através da lógica do que foi abordado acima, que se queremos que o tratamento à distância tenha uma equiparidade em cem por cento com o tratamento presencial, ele deva ser realizado nas mesmas condições de tempo e conexão emissor/receptor que um tratamento presencial.

7- Posso misturar o Reiki com outras práticas? Porque alguns caminhos de cura energética requisitam que se paralisem todas as demais formas utilizadas para trabalhar o mesmo sistema?

Num sentido mais amplo, podemos informar que não há qualquer problema em se usar instrumentos diferentes em um mesmo tratamento. Precisamos, entretanto, entender mais profundamente o que acontece.

A energia é neutra. Ela é sempre perfeita e não é polarizada. Ao trazer, com nossa intenção, a energia da fonte para o trabalho, ela toma uma forma e uma caraterística, tão logo sai da Fonte. Assim ela trabalhará de uma forma ou de outra , de acordo com a intenção com que é trazida.

Por exemplo, se trazemos a energia da fonte com a intenção de trabalhar pelo método utilizado nos workshops denominados All Love, ela chegará ao serviço de forma mais elétrica e mais movimentada do que se a intenção for trabalhar com o Reiki. Lembremos que toda energia é a mesma energia. O que diferencia é o foco do trabalho, a intenção e o objetivo a atingir. Desta forma, embora as energias não colidam entre si, a forma de trabalhar pode ir em caminhos opostos se forem feitas coisas diferentes em um mesmo momento.

Por exemplo, sabemos que o Reiki, trabalha através do inconsciente da pessoa. É a pessoa quem (inconscientemente) determina a rapidez da liberação do bloqueio, qual o bloqueio a ser trabalhado primeiramente, a quantidade de energia que o sistema trará a cada sessão o nível em que a sessão trabalhará. Observe que cada sessão é sentida de forma completamente diferente uma da outra, embora você esteja usando o mesmo sistema, as mesmas técnicas, tratando os mesmos bloqueios e etc.

Já o MagnifiedHealing trabalha de forma mais rápida. Se você está usando o caminho de MagnifiedHealing, ele não te permite processar em seu tempo. A energia vem, trabalha, libera e transmuta em frações de minutos. Através do sistema de tratamento utilizado no All Love, por sua vez, a energia vai entrando sem permissão consciente e, quando você percebe, já está completamente envolvido pela energia que trabalha sem que você a domine ou a lidere.

Então, imagine que você tenha um paciente que não esteja aberto a coisas mais espiritualizadas como (ascensão, Altíssimo, karmas, etc.)… Ele não se abrirá totalmente para o MagnifiedHealing ou só se abrirá a ele em tratamentos feitos à distância.
Um paciente que seja muito receoso de se abrir cem por cento às curas, de entrar em contato com feridas mais profundas ou de abrir seu coração e se entregar sem barreiras à energia, terá muita dificuldade de se abrir para trabalhos realizados pelo método All Love.

Como vê, não são as energias que se conflitam entre si, pois tudo é a mesmíssima energia e todas levam ao mesmíssimo lugar. Ao usar o Reiki, você não consegue desligar o botão do MagnifiedHealing nem do All Love, nem de qualquer outro sistema com que estiver conectado. Estas características de energia já estão em seu sistema e não há como neutralizá-las.

Quando você sai da posição de uma mera técnica do Reiki ou do MagnifiedHealing ou do All Love, ou do Yoga, ou da Cura Prânica, dentre outras ,mas está completamente integrado a estes aspectos de serviço da energia, você é o Reiki, é o MagnifiedHealing , é o Alllove, é a Yoga, é a cura prânica ou qualquer outro aspecto de serviço energético.

Estes aspectos e características da energia estão no seu sistema e fluirão de qualquer forma, sempre que for necessário e sempre que o cliente estiver pronto, mesmo que você esteja trabalhando com apenas uma destas técnicas. Entretanto no início do tratamento, você escolhe um caminho, uma forma de trabalho e este será o carro chefe daquela sessão ao menos, pois é isto que o sistema do seu cliente permite naquele momento.

Lamentavelmente, embora isto não mais devesse estar acontecendo, há muita disputa entre os diversos sistemas de trabalho de energia, e muitos acreditam e até falam que seu sistema é o único bom e poderoso. Muitos sistemas deixam claro que, para que você possa utilizar aquelas técnicas deve abandonar todas as demais. Isto, todavia, não passa pela energia nem pelo trabalho, mas sim por disputa entre os seres humanos e a necessidade de se deter a única verdade.

Desta forma, o Reiki pode ser utilizado com todas as demais técnicas de trabalho do sistema energético cuja sistemática de trabalho não conflita com a dele.
Pesquisas e observadores atestam que o Reiki é a técnica mais facilmente aceita, para a qual há muito pouca resistência. A grande maioria dos receptores de Reiki se abrem facilmente à sua forma de trabalho e por isso os resultados são rápidos e frequentes.

8- Existe contaminação energética quando recebo Reiki de um aplicador que está doente?

O trabalho com a energia Reiki se diferencia de muitos outros trabalhos com o sistema de energia justamente por não permitir troca de energia entre emissor e receptor. Isto porque no Reiki não se trabalha com a energia vital do terapeuta, mas sim com o seu patamar de energia mais elevado (ver sobre kanji do Reiki e também sobre os símbolos do Reiki).

O Reiki trabalha com a energia do Espírito e neste patamar de energia ele trabalha com o ser divino que ele é. Ele se torna semelhante a Deus/ Buda (ver a entrevista de DrMikaoUsui), a energia cósmica. A energia do Espírito/Deus/Buda/Cósmica não aceita ou assimila nenhum mínimo desequilíbrio. Desta forma, nem o terapeuta assimila nada de seu cliente, nem o cliente do que acontece na personalidade do terapeuta. Nisto o Reiki difere de alguns outros caminhos que utilizam a energia ki em seu trabalho, tais como Do-In, Shiatsu, massagem, dentre outros.

Dependendo da técnica utilizada para trabalhar o sistema de energia, a recomendação ao terapeuta seria de cancelar seus atendimentos se não estiver bem.

Com o Reiki, a Sra. Yamaguchi costumava dizer que se o terapeuta não estivesse bem, deveria procurar aplicar Reiki em alguém. Rapidamente tanto o terapeuta quanto o cliente se sentiriam melhor.

Desenvolvimento, Hospedagem e Manutenção Por: IBS WEB .'.